Thursday, October 10, 2002

[10/10/2002 5:11:45 PM | Michelle Fernandes]
Na redação a seguir, eu tirei a nota máxima e ela foi convidada a ir para o mural das melhores redações do colégio no 3º período então eu tenho o prazer de publica-la.
A redação é uma carta dissertativa cujo tema é: AMOR e antes que vocês, leitores do meu blog, leiam a redação, eu darei uma prévia de como foi feita.
É verdade que eu a fiz quando eu ainda estava namorando com o Victor e, obviamente, ele foi minha inspiração para fazê-la, eu a fiz com todo o meu coração e todo o amor que pulsava no meu peito tanto que é a primeira redação na minha vida que é convidada a ir para o mural.
O sentimento que eu sentia foi verdadeiro, e o amor era tão forte que eu decidi coloca-la para homenagear o Victor, mesmo que ele nunca a leia aqui, ou talvez leia. Eu quero homenagear o velho Victor, não o de agora, que é meu amigo e acha que eu estou perto dele porque eu ainda gosto dele ou porque eu estou correndo atrás dele, que é a impressão que eu tenho do que ele acha ou do que ele aparenta achar, mas então, o Velho Victor, sim, Velho com "V" maiúsculo, o Victor que era homem ao meu lado, não me refiro ao homem do sexo masculino, mas o homem que um dia achei que me acompanharia ao meu lado, me amando até o dia de minha morte, o Velho Victor, que realmente me amava e tenho certeza de que dava todo o carinho que ele podia dar.
Hoje não estamos mais juntos, mas essa redação foi escrita enquanto estávamos, enquanto nos amavamos e os momentos eram bons então essa redação é uma comemoração, uma memória de tudo o que passamos enquanto estivemos juntos, uma prova de que, nada foi em vão
Eu não o amo mais, é verdade mas é tão curto o amor, tão longo o esquecimento e esse é o último texto em nossa memória.
Estou muito feliz com as oportunidades que tenho tido e as pessoas maravilhosas que tenho conhecido, até mesmo, claro, os garotos. E termino este pequeno texto com uma frase minha, já até conhecida: "o que for pra ser, será"
Gostaria, agora, de iniciar a redação:
meu "ps" final. IMPRÓPRIO PRA DIABÉTICOS........MUITOOOOOOOO AÇUCARADO



Michelle Fernandes Nº35
SÉRIE: 3º TURMA: A PROFESSOR: Luciana
PROPOSTA: Carta dissertativa com o tema: AMOR


Victor A.S.de Freitas 27 de agosto de 2002


Algo me tocou de surpresa esta noite....
Nós dois estávamos nos beijando em meus sonhos e eu me senti como da primeira vez em que eu o vi e desde aquele dia eu não pude esquecê-lo, você está sempre aqui perto de mim, no me coração.
Qual é o problema comigo? O que são esses estranhos sentimentos?
Como eu posso explica-los? Nunca amei ninguém de verdade antes, com tão profundo e puro amor como este que sinto no momento. Profundo, digo, como um oceano, que tem tamanha maravilha e milhões de belezas ainda a seres vividas, descobertas, e puro amor por ser inocente, inocente como uma criança, cheia de vida e alegria, explorando o mundo ao seu redor com uma curiosidade e felicidade imensas, como se sua vida fosse apenas para descobrir algo, algo como o amor.
O brilho desta manhã tocou em meu ser e em meu coração, acordei e você ainda estava em meus pensamentos.
Posso encontrar amor em tudo ao meu redor, em todos os lugares.
O amor torna a vida mais clara, posso encontrar o amor no sutil vôo de uma pequenina borboleta, na bela e suave textura de suas asas e mesmo no brilhante sol que me aquece. Sento-me à noite e penso em algo para escrever, que graça eu consigo achar agora observando a calada lua e as estrelas que eu sempre amei? Elas perderam a graça diante ao seu brilho, assistir aos astros sem você ao meu lado apenas faz a minha alma chorar.
A lua e as estrelas, infinito e os cometas não possuem mais a mesma beleza, o mesmo significado; antes estes me mostravam conforto e agora me mostram a solidão, aumentam minha saudade e fazem-me pensar que você poderia estar ao meu lado me abraçando, ou fazendo carinhos que me agradam, aqueles carinhos que só você sabe fazer...Quando estou com você, porém, a lua volta a ter seu valor e as estrelas brilham mais, mostram meu amor e me fazem ver como a vida é importante com você.
Mas, da mesma maneira suave que você surgiu em minha vida, você fugiu de mim e partiu o meu coração. Eu ainda sinto um pouco de medo, um pouco de receio, mas talvez eu não queira dizer o porquê.
Se isto o que sinto não é amor eu acho que está tudo bem e me desculpe por tudo isso, por confundi-lo desta maneira. Com certeza, da minha parte, irei sentir dor em meu coração, não importa o que você faça, como você irá agir.
Nós dois poderíamos ficar juntos para sempre, caso contrário teríamos de ser, com certeza, melhores amigos, mas esse sentimento veio e meu coração está nas nuvens. Por que tudo tem de acabar? Por favor não deixe acabar.
Sabe, quando me olho no espelho, eu vejo refletida toda a minha confusão e insegurança, os motivos pelos quais eu estou triste, eu deveria achar o meu outro "eu" refletido lá.
Quando você deveria me deixar, seus olhos procuraram dizer que eles encontraram os meus.
Não diga nada, acho que poderíamos perder tudo o que teríamos conhecido, se tivéssemos ficado juntos.
Eu não deveria nunca ter escrito tudo isso hoje, pois amanhã, se eu o vir, eu não saberei bem o que fazer, o que devo dizer....A única certeza que terei é de dizer que eu amo você.


Michelle Fernandes
[edit]
[9/29/2002 7:32:53 AM | Michelle Fernandes]
Dois importantes fatos, nessa vida, saltam os olhos: primeiro, que cada um de nós sofre inevitavelmente derrotas temporárias, de formas diferentes, nas ocasiões mais diversas. Segundo , que cada adversidade traz consigo a semente de um benefício equivalente. Ainda não encontrei homem algum bem-sucedido na vida que não houvesse antes sofrido derrotas temporárias. Toda vez que um homem supera os reveses, torna-se mental e espiritualmente mais forte...É assim que aprendemos o que devemos à grande lição da adversidade.
As únicas desgraças completas são as desgraças com as quais nada aprendemos.
Que pensa o mármore no qual o escultor talha uma bela estátua? Pensa: "Batem em mim, estragam-me, insultam-me, quebram-me, estou perdido.".Esse mármore é um ignorante...A vida me esculpe. Faz de mim uma obra prima.


Quando anunciaram a Anaxágoras o falecimento de seu filho, disse apenas: "Sabia que ele era mortal" Todos nós deveríamos dizer algo similar acerca de todas as aflições que nos atingem: sabia que minhas riquezas eram perecíveis; sabia que meu amigo era apenas um homem. Tais considerações nos pacificariam facilmente, pois as infelicidades nos ferem na medida em que não a esperamos.


[edit]

[9/20/2002 5:00:51 PM | Michelle Fernandes]
o sol se pondo, o fim da vida...naum é assim que eu gostaria que fosse...

Manhã....o início de um dia...
o início de outro dia terrível...naum é assim que eu gostaria que fosse...

Céu azul...algo quente...algo estranho...algo que me enche de terror...
Não quero que seja assim....
[edit]